Análises Games

Análise | Crash Team Racing Nitro Fueled – Um excelente jogo, mas que exige muita prática

A espera foi longa, mas finalmente o dia chegou. Foram muitos rumores desde o lançamento da ótima coleção N.Sane Trilogy em 2017 sobre um possível remake do clássico Crash Team Racing que fez parte da vida de muitas pessoas. Isso deixou de ser um rumor no TGA 2018 com um anúncio bem legal e o hype dos fãs foi nas alturas.

Para a alegria de todos o game é muito bem feito e respeita o original, mas traz coisas novas – essas que entrarei em mais detalhes depois. O meu maior medo em relação a esse game era de que ele perdesse o seu maior encanto que é o de usar as derrapagens. Felizmente isso é parte crucial em todas as pistas e o game continua tendo um peso nos turbos. O kart chega a ficar tão rápido que perdemos um pouco do controle – sim, isso conta como um ponto positivo para mim. Entretanto vamos começar falando sobre a parte técnica do game que é o que mais chama a atenção ao iniciar o título.

Gráficos, Som e Dublagem

 

Assim que o game abre a primeira coisa que senti foi um sentimento de nostalgia, mas junto também de estranheza e encanto. O por quê? Bom, a abertura é a mesma do original, exceto por não ter mais o logo da Naughty Dog, mas logo fiquei encantado pela beleza dos personagens e da identidade visual do game. O que realmente me deixou com um sentimento de estranheza são as vozes em português. Em sua grande maioria são no máximo ok e perder o charme da intro do jogo por causa das vozes é bem chato.

Mas falando dos gráficos no geral não há do que reclamar. Os personagens são muito bem feitos e detalhados, além de efeitos muito bonitos enquanto derrapamos com o kart ou quando usamos o turbo, seja o da pista ou o de item. Já nas pistas é onde vemos como o trabalho da Beenox foi muito bem feito. Como eles mesmo disseram cada pista agora tem uma história para contar. Tudo tem vida nas pistas agora, desde o fundo do cenário, que pode ser todo de lava ou cheio de montanhas ou simplesmente lembrar Columbia de Bioshock Infinite no caso da pista Hot Air Skyway.

Na parte de som não há nada que o game surpreenda, mas também não há nada que o inferiorize. É interessante comentar que é possível mudar a trilha sonora para a original. Eu particularmente não vi diferença entre a nova e a antiga, mas é algo interessante. O ponto que peca na parte de áudio realmente é a dublagem em nosso idioma. De 26 personagens, se 3 vozes me agradaram foi muito. Muitas delas não são nem ruins, apenas não combinam com os personagens e querendo ou não, a voz original do Dr. Neo Cortex é algo bem difícil de se encontrar por aí.

Jogabilidade

E enfim chegamos ao grande destaque do game, a sua jogabilidade. Com alguns ajustes aqui e ali e ela é praticamente a mesma do game original. Com o botão X aceleramos e com o R1 ou L1 começamos a derrapar. Enquanto derrapamos, se apertarmos o botão de derrapagem oposto conseguimos um turbo. Isso pode ser feito até 3 vezes por derrapagem e é essencial para a vitória. Com o botão bola nós usamos os itens e com o triângulo mudamos o visual do mostrador de turbo. Já o L2 muda o tipo de câmera, enquanto com o R2 olhamos para trás.

Apesar de parecer complicado no início, assim que se acostumar com o sistema, ele pode ser extremamente compensador. Assim como em Mario Kart temos itens de defesa, ataque e até mesmo sua própria versão do casco azul. A grande diferença aqui, entretanto, é que caso você seja bom com os drifts, os itens talvez nem sejam necessários para as corridas. E isso nos leva a um dos problemas que encontrei no game.

Apesar de eu ter amado como melhoraram a inteligência artificial da CPU no geral, no Difícil isso ficou um pouco além da conta. A não ser que esteja com personagens classificados como Avançados como por exemplo Tiny, Dingodile ou Crunch é que temos alguma chance nessa dificuldade. A graça do game é ter vários personagens e poder jogar com todos eles e para mim ficou fora de mão, pois no médio acaba ficando fácil e no difícil sou obrigado a jogar só com uma classe de personagens se quiser ganhar.

Outro ponto que me incomodou é que as estatísticas dos personagens me parece um tanto quanto estranha. Por exemplo Tiny e Dingodile tem as mesmas estatísticas de acordo com o que mostra na lista de personagens. Entretanto na prática parece que um tem a curva melhor que o outro. Assim como o Crunch que achei um dos personagens mais OP até o momento e pasmem, está marcando as mesmas estatísticas.

Outra coisa que não chega a incomodar, mas seria interessante se tivesse é na parte de personalização. Podemos mudar os chassis, rodas, cores e colocar adesivos, entretanto nada disso altera o status do kart. Particularmente acho que seria mais interessante se não fossem meros itens cosméticos. Felizmente o que mais conta no game é se você sabe ou não usar as mecânicas, então mesmo que esteja com um personagem menos rápido, se for um bom jogador você ainda tem chances de vencer a corrida (exceto no difícil que está desbalanceado, como já citei antes).

Online e Modo Batalha

E por fim temos um dos recursos mais aguardados para o game. Sim, Nitro Fueled conta com um modo online e que funciona muito bem. Por ora só temos a opção de corridas únicas ou batalha, seja com amigos ou com pessoas aleatórias. Mas já foi anunciado que um patch chegará no dia 3 de julho incluindo um sistema de temporadas no game com torneios online, personagens e itens de evento e uma nova pista.

Assim como a corrida local, o modo online não tem muitas regras para se começar. Você busca a partida, personaliza o seu kart, escolhe o seu personagem e vota em uma pista. A regra é que são sempre 3 voltas. Até o momento não presenciei nenhum problema ou instabilidade no modo online e se você está atrás de moedas wumpa, é por lá que você vai conseguir a sua pequena fortuna.

Já o modo batalha ganhou uma remodelada em comparação com o original. Agora além do clássico “mata-mata” temos um modo Capture a Bandeira e entre outros. Felizmente caso só tenha como jogar de forma local com um amigo ou então sozinho o game permite colocar bots e agora temos todas as arenas desde o CTR até o CNK. Confesso que não joguei muito o modo batalha, mas com os novos modos e arenas, ele pode se tornar bem mais interessante.

Principais novidades e mudanças

Desde os gráficos até a jogabilidade tudo ficou muito bem refinado, mas no geral tudo ficou semelhante ao original e tirando a liberdade criativa de dar vida às pistas, tudo se manteve a mesma coisa. Por outro lado a adição de todo o conteúdo de Crash Nitro Kart é algo que achei maravilhoso. CNK foi um game fraco, mas tinha ideias interessantes e com um level design das pistas muito legal. As pistas aqui precisaram ser remodeladas já que Nitro Fueled não conta com as partes anti-gravidade das pistas de Crash Nitro Kart. Isso foi explicado com mais detalhes por um dos desenvolvedores do game.

Junto às novas pistas foi trazido também os desafios CTR e das Relíquias para essas pistas. É interessante pode acessar esse tipo de conteúdo agora direto do menu principal. Foi adicionado ainda o modo espelhado em todas as pistas, inclusive nas copas, o que pode ou não fazer diferença na hora de aumentar o fator replay do game.

Conclusão

Crash Team Racing Nitro Fueled é um presente para todos os fãs do game original, afinal ele respeita as mecânicas e a aprimora de uma forma que fica ainda mais gostoso de jogar. Por outro lado para pessoas novas no game pode ser um problema até entenderem como funciona o sistema de drift e boost. Felizmente o game conta com uma sessão de dicas no menu de pausa que pode ser acessado a qualquer momento e o melhor, tudo é muito bem ilustrado.

Embora funcione perfeitamente como um remake, diferente de N.Sane Trilogy aqui temos toda uma comunidade online, ou seja, se o conteúdo das temporadas não for atrativo para segurar essa galera, logo logo o game irá cansar.

Eu acredito que temos um game com um potencial gigantesco de poder ficar por aí por um bom tempo, desde que o conteúdo seja frequentemente atualizado. E caso nunca tenha jogado o game e tenha curiosidade eu recomendo que tente a sorte, eu garanto que a derrapagem vai ser muito satisfatória.

Crash Team Racing Nitro Fueled está disponível para PS4, Xbox One e Nintendo Switch.

O game foi testado em um PlayStation 4 em uma cópia cedida gentilmente pela Activision.