Notícias Games

Sony, Microsoft e Nintendo buscam iniciativa para maior transparência na política de loot boxes

Segundo informações divulgadas pela ESA (Michael Warnecke) nesta quarta-feira (7), as empresas Sony, Microsoft e Nintendo vão exigir que desenvolvedores divulguem as taxas de loot boxes em seus jogos.

Com isso, as desenvolvedores terão que ser obrigadas à disponibilizar as taxas de ocorrência dos itens nas loot boxes, nas três plataformas online das empresas citadas anteriormente (PlayStation Network, Xbox Live, Nintendo eShop).

“Sony, Microsoft e Nintendo indicaram à ESA que estão desenvolvendo uma nova iniciativa com politicas que respeitem o uso de loot boxes pagas em jogos que são produzidos para seus consoles.”

Michael Warnecke

O acesso às informações será mais completa, possibilitando assim uma maior interpretação da caixa que estará sendo oferecido ao jogador e quantas chances o mesmo terá de adquirir um determinado item, caso opte pela caixa inteira.

Por exemplo, um jogador demonstra interesse em adquirir uma determinada arma em um jogo FPS. Mas, a única possibilidade de conseguir este item é gastando dinheiro em uma determinada loot box. Com a iniciativa aplicada, as empresas deverão informar qual a real possibilidade de adquirir determinado item, para assim, repensar o custo.

Algumas distribuidoras já teriam concordado com esta nova iniciativa.
Confira abaixo a lista inicial:

  • Activision
  • Blizzard
  • Bandai
  • Bethesda
  • Bungie
  • Eletronic Arts
  • Take-Two Interactive
  • Ubisoft
  • Warner Bros
  • Wizards of the Coast

Em resposta enviada à Gamespot, a Capcom informou que não assinou o termo de poio porque seus jogos lançados em consoles não oferecerem loot boxes compráveis. Sony, Microsoft, Nintendo, Eletronic Arts e Wizards of the Coast confirmaram as informações da ESA.

A aplicação será iniciada em 2020. Uma data precisa ainda será anunciada.