Especial | As origens do Xbox

Na virada do século, a gigante dos computadores, Microsoft, anunciou que entraria no concorrido mercado de videogames. O console, que foi batizado de Xbox, é fruto da cabeça de um homem e sua equipe, e também da benção de Bill Gates. Para conhecer um pouco mais essa história, vamos voltar até fim do século XX.

Como tudo começou

Em 1998 chegava às prateleiras Jurassic Park: Trespasser (PC) de Seamus Blackley. O jogo foi odiado por parte dos fãs da franquia cinematográfica, que não entenderam a sua ideia ou simplesmente não gostaram da experiência. Foi ali que Seamus achou que sua carreira na área havia chegado ao fim. No ano seguinte, ele passou a integrar a equipe da hoje famosa ferramenta DirectX.

Paralelamente, começaram a circular alguns rumores de que a Sony anunciaria o sucessor do PlayStation. O mercado de consoles da época foi marcado  pela disputa entre Sony, Nintendo e Sega. No mesmo ano, a Big N anunciou seu novo console, o GameCube, enquanto a Sega já havia lançado o Dreamcast.

Seamus segurando o Xbox original

Isso plantou uma semente na cabeça de Seamus, que achava que a Microsoft era a empresa ideal para investir nesse mercado. Em um belo dia, ele estava em um avião muitos quilômetros acima do chão quando sua ideia finalmente tomou forma. A primeira coisa que ele fez foi ligar para seu amigo Kevin Baucus, que era gerente de projetos na DirectX, e contou o ensejo que lhe ocorrera no voo: desenvolver um console.

Baucus ficou bastante animado com o projeto. Posteriormente, a ideia foi apresentada a Ted Hase e, por fim, ao líder de projetos da DirectX, Otto Berkes. Os quatro desenvolveram a proposta e foram até Ed Fries, que era o líder da divisão de games da Microsoft na época, que apoiou o projeto, formando assim o time da DirectXbox.

O Xbox toma forma

A partir daí, os membros da equipe começaram a participar de todas as reuniões possíveis, sempre tentando levar o seu console para os mais altos escalões da empresa. Durante o processo, o pessoal de marketing da mesma sugeriu mudar  o nome do aparelho para simplesmente Xbox. A ideia foi crescendo, até chegar aos ouvidos de Bill Gates. O pai do Windows ficou extremamente empolgado ao saber da ideia, e vislumbrou uma nova oportunidade de negócio, já que a Sony estava atraindo grandes produtoras de jogos, firmando contratos de exclusividades. Bill endossou a ideia e passou a apoiar o projeto, o que levou diversos profissionais a trabalhar no Xbox.

Todos na equipe passaram então a se encontrar com várias desenvolvedoras e produtoras, recebendo o endorso de todas, que aprovaram a proposta e se uniram ao projeto, prometendo jogos e suporte para o vindouro console. Isso fez com que a equipe tivesse uma reunião final, através da qual seria decidido se o Xbox de fato seria lançado. Esse encontro foi marcado para 14 de fevereiro, dia dos namorados nos Estados Unidos.

O encontro foi conduzido por Bill Gates e Steve Ballmer, que na época era presidente executivo da companhia. Ambos encheram a equipe de perguntas e indagações, afinal, entrar em um novo mercado demanda tempo e principalmente dinheiro. A situação foi tensa até os últimos cinco minutos, quando receberam o aval para a criação do console.

A Caixinha chega ao mercado

Na GDC 2000, Bill Gates foi para o palco anunciar o Xbox, que foi o responsável pela entrada da Microsoft no concorrido mercado de consoles caseiros . Um processo difícil e  arriscado, uma vez que a equipe teria pouco tempo para testar tudo o que foi pensado e finalmente lançar o console.

Protótipo do Xbox

O design do aparelho foi pensado para demonstrar poder e se afastar de tudo que era visto nos PCs até então. O controle original do aparelho, no entanto, era grande demais para mãos dos jogadores, por essa razão, posteriormente, foi adotado  um novo modelo, pensado para o mercado japonês. A partir daí o joystick se tornou levemente menor e mais fácil de se segurar.

Foi então que finalmente no dia 15 de novembro de 2001 chegava às lojas dos Estados Unidos o Xbox, ao valor de $299 dólares e com um hardware robusto para a época que continha um HD de 8 GB, um processador Intel de 733 MHz com uma placa de vídeo de 250 MHz NVidia XGP. Além disso ele continha 64 MB de memória RAM, áudio em 3D, conexão a Internet banda larga e leitor de DVD de dupla camada, que podia ainda reproduzir filmes.

O aparelho alcançou 500 mil cópias vendidas em sua semana de lançamento e um total de 1.5 milhão em seu primeiro mês de vida. Além disso, foram vendidos cerca de 5 milhões de jogos para o Xbox, fazendo dele um grande sucesso. Dentre todos, um game chamou muita atenção por sua qualidade técnica: Halo: Combat Evolved.

Edição especial do Xbox com tema de Halo

Para sua época, o game era impressionante. Ele tinha gráficos e jogabilidade que se destacavam dentre os shooters da época. No ano seguinte foi inaugurado o serviço que mudaria para sempre a forma como usamos os consoles, a Xbox Live . O serviço ligava os jogadores e permitia que eles jogassem partidas multiplayer nos mais variados títulos. A entrada do Xbox foi muito boa para o mercado de consoles, já que, pouco tempo depois de seu lançamento, a Sega se retirou da disputa se tornando uma apenas uma desenvolvedoras de jogos third party.

No fim do ano teremos o lançamento do quarto console da família Xbox, batizado de Xbox Series X. Por tudo o que já foi apresentado até agora, sabemos que esta será uma máquina impressionante e tem tudo para ter ótimos jogos, visto que a Microsoft conta com mais de quinze estúdios em seu portfólio. Agora nos resta aguardar o seu lançamento, e, claro, continuar desfrutando e jogando dos melhores jogos, sempre.

Um treinador de Pokémon aposentado que quer se tornar profissional de futebol de botão. Ama joguinhos mais que tudo e prefere debater ideias e teorias sobre eles do que necessariamente jogar. Power metal é água, ou seja, a fonte de vida.