Análises Especiais - Games Games

Análise | Townsmen: A Kingdom Rebuilt

 

Jogos de gerenciamento de recursos e construção de cidades sempre me chamaram a atenção desde o saudoso Sim City, passando por Settlers, Caesar, Pharao, Stronghold, Civilization, Lords of Realm e tantas outras jóias desse gênero. Cuidar de uma cidade (seja ela uma cidade moderna, um castelo medieval ou uma vila romana), com todas as suas peculiaridades, tentando manter em um nível aceitável diversos itens como comida, diversão, proteção – seja contra incêndios, desabamentos ou até mesmo exércitos inimigos – enquanto mantém equilibrada sua taxa de impostos para nem falir nem gerar a fúria dos cidadãos é um equilíbrio fino e que exige uma boa dose de habilidade, mas se mostra uma experiência agradável e recompensadora.

Uma franquia que surgiu inicialmente para dispositivos móveis, Townsmen é um simulador de cidade medieval, onde você precisa construir, manter funcionando em boas condições e suprir com os recursos exigidos todas as estruturas necessárias para prover uma boa qualidade de vida para sua população. Disponível agora para os consoles da geração atual, Townsmen: A Kingdom Rebuilt foi adaptado para ser jogado com controles e conta com cenários que se desenvolvem com base em histórias ou cenários do tipo sandbox, onde você mesmo define seu objetivo.

 

Gráficos e som

A direção de arte deste jogo seguiu um caminho com gráficos mais estilizados, deixando o jogo bonito e colorido, agradável e simpático, tudo muito bem desenhado e com bom nível de detalhes. Os cenários são variados e temos variação de clima – temos as 4 estações do ano, cada uma com sua característica própria – e também desastres naturais, como incêndios, desabamentos, doenças, etc.

Para tornar a cidade mais viva, é possível ouvir os vários cidadãos trabalhando e conversando, e alguns deles vão até você pedindo favores ou fornecendo informações. É bem interessante notar que o idioma que eles falam foi construído para o jogo baseado em finlandês e Volapuque. A música e os efeitos sonoros são bons também, dando uma sensação de tranquilidade e imprimindo um ritmo tranquilo e confortável para o jogo.

 

Jogabilidade e interface

Há várias mecânicas em Townsmen, que vão sendo apresentadas aos poucos caso o jogador decida iniciar pela missão tutorial. Seguindo a história de um nobre que foi expulso da corte ao ser acusado injustamente de roubo, é necessário cuidar da pequena cidade enquanto executa investigações para encontrar o verdadeiro culpado. Ao longo de vários capítulos é possível aprender como produzir alimento, vestimenta, diversão, proteção militar e como se adaptar às diferentes estações do ano – no inverno, por exemplo, algumas fazendas não produzirão colheita.

Temos muitas estruturas a disposição, e é interessante a forma como o que cada uma oferece se relaciona com as outras e com a população. Também é bem interessante a maneira como o jogo intercala os acontecimentos da história e as missões do cenário. No entanto, a cada mudança de capítulo, nesta missão tutorial, o cenário sofre um tipo de reset e perde-se as construções já feitas; depois de tanto tempo construindo e organizando meticulosamente as estruturas da cidade, é no mínimo frustrante perder tudo e recomeçar várias atividades.

Como foi originalmente concebido para dispositivos móveis, é possível notar algumas pequenas complicações no acesso aos menus e na interface como um todo. Tomemos como exemplo os alertas no canto da tela, que não consegui acessar diretamente e em vários momentos tive dificuldade em entender o que significavam, pois nem sempre estavam claros o suficiente.

Outro problema que atrapalhou um pouco foi a impossibilidade de girar o mapa, o que faz com que em alguns momentos algumas construções fiquem escondidas atrás de outras.

 

Conclusão

Townsmen para mim foi uma experiência relaxante e divertida; apesar de algumas falhas de execução, no geral o jogo é bem feito e muito carismático, bonito e rico em complexidade. É recompensador sair de uma situação de quase falência e se ver depois com uma cidade em pleno crescimento, viva e com seus cidadãos satisfeitos e com todos os seus desejos atendidos. É aquela velha sensação de competência, a prova que você é um bom administrador – ainda que seja apenas dentro do jogo. Mas afinal, jogos não são exatamente para nos mostrar o que podemos ou queremos ser? E para mostrar que com trabalho e perseverança podemos atingir nossos objetivos?

Eu recomendo este jogo para aqueles momentos de relaxamento a noite, antes de chegar o sono, ou quando você está cansado de apenas apertar botões e quer um clima mais gostoso, fazer algo além de pular e atirar, se empenhar estrategicamente na administração de recursos em missões regadas a humor leve, boa música e bons gráficos.

Townsmen: A Kingdom Rebuilt é uma boa jornada pelo gênero de construção e gerenciamento de cidades, com muitas opções de cenários – cada um com suas missões e objetivo principal ou mesmo cenários sem objetivo definido, em modo sandbox. Podemos perceber o esmero dos desenvolvedores em todos os aspectos do jogo, de gráficos a áudio, da complexidade que é gerir os recursos da cidade às respostas de seus moradores. E jogar isso em uma tela grande torna a experiência ainda melhor e confortável.

Recomendado para: fãs do gênero de simuladores/gerenciamento de cidades, fãs de estratégia, pessoas que gostam de pensar em muitas variáveis ao mesmo tempo durante o jogo.

Não recomendado para: pessoas que não gostam de jogos de estratégia ou gerenciamento de recursos, que não gostam de jogos com ritmo mais lento e que demandam mais raciocínio para avançar nas fases, sem muita ação direta.

Townsmen: A Kingdom Rebuilt está disponível para PC, Playstation 4, Xbox One e Nintendo Switch. Esta análise foi feita com uma cópia para Playstation 4 gentilmente cedida pela HandyGames.

Artigo revisado por Gustavo Evans.