Conecte-se com a Torre

Cyberpunk 2077 na Nova Geração – Vale a pena dar uma chance?

Artigos

Cyberpunk 2077 na Nova Geração – Vale a pena dar uma chance?

Quando falamos em Cyberpunk 2077 já sentimos o gosto amargo de frustração por uma das maiores promessas dos últimos tempos no mundo dos games ter sido entregue da maneira que foi. Depois do banimento na PSN, inúmeros patches de correção e promessas de funcionamento, o update para nova geração chegou no dia 15 de fevereiro e nós experimentamos essa nova versão e responderemos a pergunta que ressoa aos viúvos da promessa da CD Projekt Red: Vale a pena dar uma chance ao game agora?

Pode ser que muitas pessoas que um dia estiveram empolgadas com Cyberpunk hoje até tenham se esquecido dele, ainda mais com jogos de alto calibre como Horizon Forbidden West e Elden Ring, porém, o update para nova geração trouxe melhorias significativas ao game e elas podem surpreender até aos críticos mais ferrenhos e haters de outrora.

Tive a oportunidade de zerar Cyberpunk em seu mês de lançamento e experimentei uma quantidade considerável de bugs, tais quais: dirigibilidade ruim, física quebrada, cadáveres e carros que voavam ao entrarem em contato com algum personagem, poucos NPC’s e diálogos constrangedores, e essa lista poderia continuar mais e mais. A verdade é que o último update do dia 15 de fevereiro trouxe, além de uma melhoria absurda no tempo de loading e a opção de Ray Tracing, diversas outras implementações que me fizeram ter vontade de zerar o jogo novamente.

Não se empolguem porém ao pensar que o game é tudo aquilo que parecia ser antes do lançamento, ele não é revolucionário e a história não conta com um roteiro primoroso, mas é inegável reconhecer que a versão atual trouxe mais vida para Night City. As cores são estonteantes, seja utilizando o Ray Tracing ou no modo desempenho a 60 quadros, tudo é muito bonito, vistoso. A quantidade de NPC’s aumentou bastante, e o simples fato de eles terem reações mais humanizadas como partirem pra briga quando se sentem ameaçados ou correrem desesperados já aumenta nossa imersão. O sistema de habilidades foi remodelado recebendo novas opções de melhoria e foram retiradas outras que eram desnecessárias ou pouco utilizadas; Além disso poderemos personalizar as características físicas do nosso personagem ao olharmos no espelho.

Um ponto que me incomodou muito na versão de lançamento foi a dirigibilidade que era terrível e foi extremamente melhorada, principalmente se você experimenta o game no PlayStation 5 onde há o uso dos gatilhos adaptativos e feedback tátil do DualSense que, além de abrilhantarem na hora de pilotar, são um show a parte nos combates. Há agora um sistema de locação de apartamentos que nos permite pagar por uma moradia que seja mais “a nossa cara”, temos 4 opções que podem ser encontradas pela cidade ou alugadas pelo EZEstates.

É bom deixar claro que ainda existem alguns bugs na nova versão, nessa minha nova run eu me deparei com umas duas ou três ocasiões mas todos foram simples erros de física e que não impactaram na minha jogabilidade, deu pra fazer vista grossa. Dito isso, Cyberpunk 2077 é hoje o que poderia ter sido no seu lançamento e, apesar de não ser revolucionário, é divertido, sabe recompensar o jogador, visualmente muito bonito e garante boas horas de entretenimento. Se você ainda não teve oportunidade de jogar e estava torcendo o bico, tire a poeira do game, baixe a atualização e aproveite tudo o que Night City tem para te oferecer.

Jogador de shooter, survival horror, horror games e todos seus sub-gêneros. Músico e fã de Queen, Muse e Avenged Sevenfold. Idoso de alma e amante de café.

Comentários

Mais em Artigos

Topo