Plague Inc. é retirado da App Store da China

No game Plague Inc., lançado em 2012, o objetivo é destruir a humanidade através de bactérias, vírus, parasitas e outros tipos de patógenos. Desde os primeiros casos confirmados do novo coronavírus, o Covid-19, no começo do ano, o jogo cresceu em popularidade e recentemente atingiu seu pico de jogadores no Steam, totalizando quase 18 mil, de acordo com o Steam Charts.

Agora, o jogo foi removido da App Store da China por, segundo a Administração do Ciberespaço da China (CAC, na sigla em inglês), ter “conteúdo ilegal”.

Não foi especificado quais elementos são ilegais para o órgão chinês, mas é importante ressaltar que o jogo nunca foi realmente licenciado no país, pois a atual lei para lançamentos entrou em vigor após 2012.

Em 4 de dezembro de 2019 a versão para iOS recebeu uma atualização adicionando a mecânica de “fake news”, onde jogadores podem criar informações falsas para progredirem no game em um cenário específico. Este poderia ser um dos motivos para a retirada do App no país, assim evitando a desinformação, mas isso é somente especulação por enquanto.

A Ndemic Creations publicou a seguinte declaração:

“A situação está completamente fora de controle. Não está claro para nós se a remoção tem a ver com a crise atual do coronavírus que a China está enfrentando. No entanto, a importância educacional de Plague Inc. tem sido reconhecida repetidas vezes por organizações de saúde, como o CDC. E estamos trabalhando atualmente com mais organizações para determinar como podemos ajudar na contenção e no controle do COVID-19.”

É possível conferir a declaração completa aqui.

O órgão ainda não se pronunciou oficialmente a respeito dos detalhes da remoção do App.

Plague Inc. é um jogo desenvolvido pela Ndemic Creations e lançado em 26 de maio de 2012 para Android, iOS e PC. Há também a versão para consoles lançada em fevereiro de 2014, disponível para PlayStation 4, Nintendo Switch e  Xbox One.

 

A cultura pop pode nos proporcionar momentos enriquecedores se a olharmos com carinho. É assim que encaro games, cinema e todas as outras mídias que nos cercam. Tratando arte como arte, sem nunca perder o bom humor.