O patrimônio de Kane e Lynch: maturidade na violência

Uma obra psicodélica e selvagem

A geração do PS3 e X360 nos presenteou com obras curiosas e totalmente diferentes. Tecnicamente falando, foi também a geração onde as aspirações tecnológicas mais se alavancaram e evoluíram, tornando assim muito nítido perceber a revolução em relação a geração anterior.

Freedom Fighters, o clássico ”tactical combat” da IO Interactive.

A IO Interactive, mais conhecida pela série Hitman, sempre foi uma empresa que arriscava pouco. De certa forma, ela meio que se consagrou como uma das melhores empresas nos jogos de stealth e simuladores, já que as aventuras do Agente 47 não se equiparavam com a de nenhum outro. Mesmo com o seu diferencial clássico de PS2, ”Freedom Fighters” de 2003, a empresa ainda seria apenas reconhecida por Hitman. Mas no início dessa nova geração isso viria a mudar, pois o estúdio apostava em outras temáticas e produções.

Assim, em novembro de 2007, a IO lançava sua primeira aposta fora da caixa: Kane & Lynch – Dead Men. Divulgado com uma classificação +18 e com um marketing enfatizando uma postura madura, K&L lançou e vendeu bem a priori. Mesmo que, recebido com altas e largas críticas, principalmente contra sua gameplay lastimável e bugs bizonhos, Kane & Lynch foi um estouro de sucesso nas vendas. Garantindo uma sequência para 2010, a jornada dos dois mercenários marcou a indústria profundamente com inovações fantásticas. Mas o que de fato, K&L fez de diferente? Veremos a seguir.

A cinematografia e roteiro em prol da maturidade

Nada mais intimidador e atraente do que homens em ternos, não é? Ao menos é o que a internet diz.

Vale dizer logo de início que Kane & Lynch não é um thriller genérico de ação, igual outros que conhecemos. Na narrativa, Kane é um estrupício de marido e pai. Abandonando sua família para seguir com seus trabalhos como mercenário e atuando como cabeça de crimes organizados, Kane é basicamente o tipo de homem que fracassou em tudo na vida… e o tipo que você não quer irritar.

Em contrapartida, Lynch tinha tudo para ser normal. Mas, como sabemos pelas falas do nosso querido Coringa na HQ Piada Mortal: Basta um único dia ruim para que o homem mais são caia na loucura.’ Esse dia foi o catalizador para as mudanças radicais de Lynch. Diagnosticado psicologicamente como um psicopata, Lynch toma remédios controlados após o infame assassinato de sua família. Agora, se o background dos dois protagonistas lhe chamou atenção, já consegue imaginar como a trama tem amplas possibilidades de desenvolvimento… não?

Como eu disse anteriormente, Kane & Lynch possui uma vasta aposta na cinematografia, sendo ela a principal responsável para o engrandecimento da dupla. A IO Interactive, possui amplas e notórias inspirações em filmes de Quentin Tarantino e Michael Mann, principalmente nos seus takes de custcenes, e na fotografia que inspirou amplamente o design dos personagens, para o design da atmosfera.

O que se observa na experiência de K&L, é compreender as primeiras engatinhadas da indústria de vídeo-games para uma padronização do uso da cinematografia, nas produções blockbusters. Ok calma, eu sei que discutir a origem disso é complicado, e sabemos muito bem que se traçarmos a linha dos primeiros jogos com cinematografia de ponta, iremos para os jogos do Kojima. Porém, agora estamos falando de um cenário onde várias outras empresas estão apostando profundamente na qualidade desse design.

Violência real > Violência gráfica

Nessa mesma época, era bem comum assuntos surgirem e sumirem sobre o papel social dos vídeo-games na sociedade. Estamos falando de uma época onde vídeo-games ainda eram associados com crimes e atentados terroristas. Um período onde um indivíduo totalmente insano disparar contra crianças e adolescentes numa escola era sinônimo de que o nosso querido DOOM o fez fazer isso.

Tendo essa barreira para superar ainda e mesmo assim sofrendo diversas e pesadas críticas vindo de setores diversos da sociedade, os vídeo-games violentos acabavam de certa forma, sendo censurados se preciso. A violência gráfica era um dos principais apontamentos nas críticas, alegando que era um conteúdo muito pesado, sendo um material de fácil acesso. Por tal motivo, podemos ver que o início do novo milênio foi recheado de contradições e um balé sobre as classificações indicativas dos vídeo-games.

Um ano antes de Kane & Lynch, o mundo receberia o ilustre Gears of War da Epic Games. O jogo, contendo um alto nível de gore e palavreado chulo, foi impedido de ser publicado em certos países.

Agora, devemos pensar em Kane e Lynch, um jogo onde o mundo do crime é vanglorizado e exibido sem o menor medo, onde a violência toma sua real silhueta: as curvas da malícia, da luxúria, da crueldade, do ódio, do amor, e do simples ato de sobrevivência do mais forte. Se K&L tivesse sido publicado anos antes, provavelmente não veria a luz do lançamento em ampla escala, sofrendo o mesmo destino de jogos como os da Rockstar.

O que faz Kane e Lynch ser único é a criação dessa atmosfera opressiva e melancólica. Culminando no desenvolvimento da faceta de homens que a sociedade PERSISTE em dizer que são desumanos, o simples ato de um writing bem feito permite a criação de alguns dos personagens mais humanos e reais dos jogos. A ira e desespero de Kane, que caça uma redenção para rever sua família, assim como a confusão e estupidez de Lynch, que dopado por remédios, contrasta perfeitamente a identidade e personalidade de seu companheiro indesejado.

O determinismo social e o alicerce para a selvageria

O determinismo social colocou Kane e Lynch nessa situação. Não porque eles propriamente, ou inicialmente, quiseram estar onde estão, mas suas ações justificam a sua posição. Como antes mencionado, K&L não é um jogo apenas de ação e exposição cinematográfica hollywoodiana, é muito mais uma exemplificação dos limites humanos, que não são vivenciados no dia-a-dia de todos.

O que sabemos sobre o determinismo, é que o meio molda o indivíduo, e acaba o transformando em algo mais próximo do que chamamos de ”empiria realista.” Conceituando, Kane faz o que é preciso para atingir o seu objetivo de ver sua família novamente. Assim como Lynch, bem… ele meio que faz o que faz, porque é o que ele sabe fazer de melhor.

O writing e a direção de arte são os amigos mais íntimos de Kane e Lynch, é impossível pensar o jogo sem eles, assim como é impossível apreciá-lo sem destacar essas qualidades. E sem pensar duas vezes, o jogo não hesita em mostrar os limites que essa violência pode chegar aos seus personagens.

Kane e Lynch e seu legado indireto

Kane e Lynch possuem uma vasta história e presença na indústria dos games, você só não percebeu isso ainda.

É fácil tecer elogios para um jogo bom, certo? Pois é, o problema de Kane & Lynch é que tecnicamente falando, ele é um jogo bem mediano. Estaria enganando vocês, se eu não voltasse a citar que o mesmo possui problemas seríssimos no polimento da sua gameplay, e principalmente na consistência de bugs. K&L é um jogo muito bugado.

Recentemente fiz até uma ilustração dos dois. Viu? Ainda tem fã desses dois por aí.

Mas isso não me impede de apreciar e principalmente destacar os seus profundos pontos positivos, e principalmente as suas inovações. Responsável por alavancar os vídeo-games para outro nível, os nossos queridos Kane e Lynch possuem uma vasta importância na popularização da cinematografia e de temáticas maduras na indústria. O sucesso tardio de Uncharted, e até mesmo das colocações mais adultas de The Last of Us, só foram possíveis graças a entrada de Kane & Lynch anos antes.

Mesmo que não possuindo um legado vasto de interação e inspiração direta, a dupla de fracassados ainda está guardada com muito carinho no coração de muitos fãs. Infelizmente, após a separação da Square Enix e IO Interactive, possivelmente não veremos uma sequência ou finalização para a saga da dupla infame, visto que a IO não conseguiu adquirir o direito da franquia, na separação. Mesmo assim, a esperança é a última que morre, não é mesmo?

Conhecedor dos estudos históricos/professor , amante da arte dos vídeo-games, streamer, ex pro-player de HearthStone e artista.