Artigo | 4 filmes de suspense para assistir na Netflix

Surfando na onda de um dos lançamentos da Netflix neste mês de setembro: O Diabo de Cada Dia (The Devil All the Time), resolvi criar uma mini lista com 4 filmes de suspense para assistir na plataforma.

Montagem com todos os personagens principais do filme O Diabo de Cada Dia, filme lançado na Netflix neste mês de setembro.
Personagens de O Diabo de Cada Dia, um dos lançamentos Netflix de setembro.

Vi em muitos lugares a classificação do gênero do filme como um thriller de terror, mas vamos chamar do bom e velho suspense mesmo.

O Diabo de Cada Dia é uma obra dirigida por Antonio Campos, baseada no livro “O Mal Nosso de Cada Dia” de Donald Ray Pollock, que se passa em uma cidade pacata de Ohio (EUA), entre a 2ª Guerra Mundial e a Guerra do Vietnã.

Dentre vários personagens importantes na trama, a história acompanha um garoto criado pelos avós após ver seus pais morrerem durante a infância. Já crescido, o jovem passa a demonstrar comportamentos violentos quando começa a desconfiar que o líder religioso da cidade não é o que todos imaginam.

O longa também conta com um elenco de peso: Bill Skarsgård (IT: A Coisa),  Tom Holland  (Homem-Aranha: De Volta ao Lar),  Robert Pattinson (O Batman – 2021), e Mia Wasikowska (Alice no País das Maravilhas), que ajudam a tornar O Diabo de Cada Dia uma boa indicação pra quem procura um suspense polêmico.

E vamos às indicações!

Como há muitos suspenses aclamados e já bem conhecidos na Netflix, resolvi focar em alguns que talvez você não tenha visto ainda. Por serem mais recentes e não muito prestigiados pela crítica.

Dentre os meus escolhidos para mini lista, coloquei uma dupla de filmes espanhóis dirigidos e escritos por Oriol Paulo e uma dupla de produções baseadas em livros do icônico Stephen King.

Começamos então pelas adaptações do escritor americano.

Jogo Perigoso (2017)

O longa se inicia com o casal, Jessie e Gerald, indo à uma casa afastada da cidade, no intuito de curtir um momento a sós. Até aí tudo certo. No que começa o rala e rola, Gerald (Bruce Greewood) algema Jessie (Carla Gugino) na cama e antes que a brincadeira esquente mais, ele acaba tendo um ataque cardíaco, DO NADA.

Pois é, acredite. Pra mim, uma baita premissa criativa e inusitada, pra não dizer engraçada, para um filme de suspense.

Com esse acontecimento, a personagem Jessie se vê em uma luta não só para conseguir se libertar das algemas, como também sobreviver!

Dirigido por Mike Flanagan (Doutor Sono – 2019), Jogo Perigoso é um suspense original Netflix extremamente criativo e que, embora pareça ter uma narrativa lenta, causa muitos momentos de aflição e apreensão, além de um final muito inquietante.

1922 (2017)

O ano de 2017 teve quatro obras cinematográficas adaptadas de livros do Stephen King: Jogo Perigoso, IT: A coisa, A Torre Negra e 1922

Segundo o próprio escritor, 1922 foi a melhor adaptação dentre as lançadas durante esse ano.

A trama se passa no ano que leva o título do filme, e traz um desentendimento entre um casal de fazendeiros, Arlette e Wilfred, como ponto crucial para o andamento do filme.

Arlette (Molly Parker), que havia herdado um pedaço de terra de seu falecido pai, tinha como objetivo vender essa parte junto com a propriedade de seu marido Wilfred (Thomas Jane), para abandonar a vida no campo. 

Wilfred, totalmente contrariado por sua vontade de permanecer, cria um plano para assassinar sua esposa com ajuda de seu filho adolescente, Henry (Dylan Schmid). O que eles não esperavam é que a morte da esposa se tornaria em uma terrível maldição.

1922 traz uma narrativa interessantíssima, mostrando situações do passado e futuro de forma paralela. Acredito que não é um filme de muitos sustos, mas se você curte um suspense/terror psicológico e intrigante, é uma boa pedida.

Durante a Tormenta (2018)

Olha, eu costumo dizer que os espanhóis são excelentes de premissa. Ô povo com qualidade pra criar histórias e narrativas imersivas e curiosas. 

Oriol Paulo entra pra essa galeria de profissionais perfeitamente. Pesquisando sobre carreira notei que ainda é novo na direção um longa, tendo apenas três trabalhos na função.

Seu primeiro trabalho como diretor e roteirista foi em 2012 com El Cuerpo. Os outros dois filmes são os que indicarei agora, o que só mostra o potencial que tem suas futuras produções.

Dando início às indicações de espanhol, temos Durante a Tormenta (Durante la Tormenta).

Esse filme traz uma trama bem misteriosa com interação entre dois tempos distintos, ou seja, contato entre seres humanos de épocas totalmente diferentes.

Em resumo, o roteiro conta história de Vera Roy (Adriana Ugarte), uma mãe casada e feliz que ao colocar algumas fitas, encontradas no armário, para rodar, percebe que uma criança está clamando por socorro.

A personagem então decide ajudar e acaba descobrindo que a criança viveu em sua atual casa 25 anos antes. E então, essa atitude de salvá-lo provoca uma grande reação em cadeia criando assim outra realidade.

Se assim como eu, você é fã de filmes que mexem com tempo, espaço, realidades paralelas e etc, essa é uma produção que precisa estar na sua lista. 

Ah, outro ponto interessante é que temos o ator Álvaro Morte (La Casa de Papel), interpretando marido de Vera, David Ortiz. Enfim, só assista!

Um Contratempo (2016)

Seguindo para o próximo filme do diretor espanhol, Um Contratempo (Contratiempo) é um suspense compenetrante, com muitos plot twists (pontos de viradas) e uma narrativa bem construída durante todo filme culminando em um final épico.

O filme conta história de Adrian Doria (Mario Casas), um magnata de sucesso com uma bela família que vive se ausentando para ficar com sua amante. Aquele típico personagem que compensa a “vida perfeita” sendo um baita cara escroto. 

As coisas seguem bem para Doria, até que um dia ele desperta num quarto de hotel, após ser atingido na cabeça, e encontra sua amante morta no banheiro, coberta por notas em euros. 

Com todas as circunstâncias do assassinato apontando-o como culpado, ele recorre a melhor advogada de defesa da Espanha, Virginia Goodman (Ana Wagener), para tentar descobrir o que realmente aconteceu.

Um Contratempo é um excelente filme, um dos melhores espanhóis na Netflix, e mostra o quanto o diretor e escritor Oriol Paulo tem facilidade em sustentar um enredo criativo e interessante durante toda trama.

Aproveita aí que já na pegada de indicações e dá um “confere” nesse outro artigo com 10 indicações de filmes imperdíveis tanto na Netflix como na Amazon Prime.

Viajante buscando navegar cada vez mais nas águas da evolução. IG: @alvaroborsari