Conecte-se com a Torre

Crítica c/ spoilers| Um Lugar Silencioso – Parte II | A sequência que precisávamos e não sabíamos

Cinema

Crítica c/ spoilers| Um Lugar Silencioso – Parte II | A sequência que precisávamos e não sabíamos

Um Lugar Silencioso 2: Tudo o que você precisa saber para assistir -  Notícias de cinema - AdoroCinema

Antes tarde do que nunca! Finalmente tivemos a estreia da sequência de Um Lugar Silencioso, filme escrito e dirigido por John Krasinski que volta nessa sequência em um flashback que de início parece bastante despretensioso na intenção de apenas mostrar o dia em que o mundo mudou para sempre. Mas então percebemos em uma cena frenética que é muito mais do que isso, assim como o flashback do início do primeiro filme, temos Emmet (Cillian Murphy) e seu filho que mais para frente viria a falecer, assim como a sua mulher muito depois.

A partir daí voltamos exatamente ao ponto onde o primeiro filme encerrou e seguimos a jornada da família Abott agora sem o seu patriarca. Toda a sequência de deixar o que aconteceu para trás é simbolizada pelo ato de deixarem o seu lar, deixarem tudo para trás e seguirem em frente, o que é uma boa tática e roteiro para avançar com a história sem ficar remoendo o que ocorreu no filme anterior.

Outra técnica de roteiro bastante interessante no filme é a divisão de núcleos, quando temos Reagan e Emmet em direção a misteriosa e incerta ilha, Evelyn saindo sozinha em busca de suprimentos e o Marcus com seu irmão no galpão. São 3 núcleos que apresentam o mesmo perigo, mas de formas diferentes e com objetivos diferentes, algo que apenas enriquece a história e desenvolve não só os personagens e suas emoções, mas principalmente a ameaça que estão enfrentando.

Entretanto, não temos nada de novo em sentido do que já vimos no primeiro filme. Sabemos agora que as criaturas vieram do céu, mas o método de atordoá-las ainda é o mesmo, e ainda assim, não há outro meio de derrotá-los senão atordoando e atirando, e acreditem: a Evelyn tentou.

Por fim, em construção de mundo, conhecemos a ilha e um grupo de insurgentes que habitam no porto, sendo assim, levantando questões como: Se eles possuem barcos, por que continuam ali? Seria apenas um método usado para saquear pessoas que buscam pela esperança de salvação? São questões que podem ser levadas até o terceiro filme, já que Reagan e Emmet terão de buscar os Abott remanescentes, o que levanta a ideia de que o John Krasinski planeja de fato expandir o universo de Um Lugar Silencioso, mas sempre focado nos Abott.

Em termos visuais, a fotografia está belíssima. Com cenas embaixo d’água, o uso da câmera em locais fechados e minúsculos. A interação dos atores, principalmente da Millicent Simmonds, que basicamente protagonizou as melhores cenas do filme, com o Cillian Murphy, que foi uma perfeita adição ao elenco, formam um núcleo que se assemelha bastante à Joel e Ellie em The Last of Us, o que só reforça a ideia de que o John Krasinski conhece bem o seu público e busca as melhores referências para a sua produção e por isso elas são tão boas.

Um Lugar Silencioso - Parte II
  • Um Lugar Silencioso - Parte II
3.5
Comentários

Mais em Cinema

Topo