Umbrella Academy reunida

Especial | The Umbrella Academy é sobre escolhas

A primeira temporada de Umbrella Academy foi lançada em 2019 e foi um enorme sucesso da Netflix. Baseada nas HQs escritas por Gerard Way (My Chemical Romance) e ilustradas por Gabriel Bá, a história parte do ano de 1989 onde em vários lugares diferentes, cerca de 45 mulheres engravidaram e deram a luz a crianças “peculiares”. Em meio a essa maluquice temos Sir Reginald Hargreeves (Colm Feore), que resolve adotar 7 delas e com isso temos a criação da Umbrella Academy.

A série segue um esquema já conhecido para tramas com seres poderosos, onde os mesmos não se sentem totalmente confortáveis ou felizes com seus poderes e o carregam como um fardo. E é exatamente isso que eu quero discutir aqui. É importante frisar que SPOILERS de ambas as temporadas poderão aparecer eventualmente no texto, então esteja avisado.

As escolhas e consequências em Umbrella Academy

Umbrella Academy reunida
Os irmãos reunidos

A história da série usa das escolhas dos personagens como uma ferramenta narrativa em grande parte dos episódios. Um bom exemplo disso é o caso do Número 5 (Aidan Gallagher) na primeira temporada, onde ele decide usar o seu poder além do seu conhecimento e… Acaba viajando sem querer para um futuro pós-apocalíptico e é obrigado a ficar lá por mais de 60 anos. Além disso teve de se submeter à Administração (uma espécie de Tribunal do Tempo) para ter uma chance de voltar para seus irmãos.

Alisson Hargreeves (Emmy Raver-Lampman), a “irmã dos rumores” passa por duas situações diferentes. Uma delas acontece quando ela tenta usar o seu poder em Vanya (Ellen Page) e a mesma reage cortando a garganta de Alisson, fazendo-a ficar sem voz por cerca de 1 ano. Já a outra acontece depois do final da primeira temporada quando a Umbrella Academy viaja no tempo para fugirem do Apocalipse causado por Vanya.

Após viajarem no tempo, cada um dos irmãos vão para um ano diferente dos anos 60. No caso de Alisson, em 1961, no meio do Movimento dos Direitos Civis dos EUA e é aí onde temos outro ponto importante da história. Sendo do futuro, Alisson poderia simplesmente ignorar tudo e ficar na dela, mas ela escolheu ser parte crucial do movimento junto com Raymond Chestnut, seu marido nessa bagunça temporal.

E por fim, mas não menos importante temos o fato de os irmão terem ido atrás e revelado quem eles eram para o Reginald Hargreeves dos anos 60. Embora isso tenha desenvolvido melhor a personalidade de cada um ali, isso também desencadeou um futuro totalmente diferente onde a Umbrella Academy nunca existiu, mas sim a Sparrow Academy onde Ben ainda se encontra vivo, inclusive.

Seria impossível citar todas as ocasiões a qual os personagens são obrigados a fazerem alguma escolha, entretanto uma em específico merece um bônus aqui que é quando Vanya está perdendo o controle no final da 2ª temporada e o “fantasma” de Ben (Justin H. Min) vai até ela e se sacrifica pela irmã. Apesar de ele mesmo falar que “já estava morto há 17 anos” a cena é bem impactante e uma das melhores da temporada.

Enfim, as escolhas estarão sempre por aí e assim como os personagens de Umbrella Academy, elas vão ter consequências. Se serão boas ou ruins isso só vai depender de nós.

As duas temporadas de The Umbrella Academy já estão disponíveis na Netflix.